quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Criança é estuprada em Patrocínio pelo próprio pai

 
No último fim de semana mais especificamente no domingo dia 27, uma ocorrência foi registrada pela 87ª Cia da Policia Militar, e embora não tenha sido informada pela assessoria de comunicação organizacional do 46º BPM, a reportagem do Grupo Difusora de Comunicação obteve acesso a informação, que dá conta de que uma tentativa de estupro foi praticada na região do bairro São Cristóvão em Patrocínio, e contra uma criancinha do sexo feminino de apenas dois anos, e pra piorar a situação o suspeito do crime é o próprio pai. A reportagem buscou mais detalhes sobre a ocorrência junto à delegada Laís Veiga Caetano Pires, da Delegacia da Mulher e de Atendimento a Vitimas de Violência Sexual, que não só confirmou os atos libidinosos praticados pelo pai, como informou que o pai da criança foi preso em flagrante e está a disposição da justiça, em forma reclusa na Penitenciaria de Patrocínio.
Drª Lais disse na entrevista que a ocorrência foi atendida pela Polícia Militar no último domingo, e a partir do registro o caso foi repassado ao delegado do plantão que foi o responsável pela prisão do pai, e posterior na segunda-feira, 28, a ocorrência ficou sob sua responsabilidade.
Sobre a tentativa de estupro:
“Na verdade não ocorreu uma tentativa, foi um estupro consumado tendo em vista que o autor praticou atos libidinosos diversos da conjunção carnal com a vítima. E o estupro atualmente ele engloba tanto a conjunção carnal quanto qualquer outro ato libidinoso que o autor possa praticar contra a vítima” enfatizou a delegada.

A situação:

Segundo a delegada o ato ocorreu dentro da residência da vítima, e foi praticado pelo próprio pai contra a criança de dois anos e presenciado pela mãe, que não estava em casa, mas ao retornar um pouco mais cedo pra casa, se deparou com a cena.
Ainda de acordo com a delegada, a mãe informou que o pai nos últimos dias estava bem próximo da filha, mas não havia dado nenhum indício que pudesse levar a descoberta do crime, nem mesmo de que a filha pudesse ser vítima do pai em outras vezes. Drª Laís Veiga disse que pela pouca idade da criança ela mesmo não consegui afirmar o que pode ter acontecido com ela.
O pai possui 45 anos, de idade, e contra ele essa é a primeira ocorrência desta magnitude, informou a delegada.
A criança esteve na presença da delegada nesta semana com a mãe. “Eu encaminhei a criança para o Centro Viva Vida para os devidos acompanhamentos médicos e psicológicos e ainda fiz a medida protetiva de afastamento do agressor. Então quando porventura o autor for liberado da prisão, não poderá se aproximar nem da mãe e muito menos da filha” afirmou Laís.
Uma triste notícia dada pela delegada é a de que 90% dos casos de estupro, acontecem dentro de casa, ou seja, são praticados principalmente por um familiar próximo. Sendo assim em muitas das vezes a situação passa a ser costume na família, e a mãe na maioria das vezes por medo ou comodismo, não denúncia o crime. “Eu quero ressaltar a todos em especial a essas pessoas, que porventura estejam passando por situação semelhante em suas residências, e talvez estejam caladas, eu incentivo para que procurarem a Delegacia da Mulher e de Atendimento a Vitimas de Violência Sexual localizada na 2ª Delegacia Regional de Patrocínio, a Avenida João Alves do Nascimento, pois nós temos todas as condições de prestar todo o apoio as vítimas de crimes neste caso de violência sexual, em especial. Então eu insisto em dizer que não se acomodem, isso é crime e deve ser punido com os rigores da Lei” enalteceu a reportagem drª Lais Veiga Caetano Pires.
A reportagem do Grupo Difusora, visando resguardar em especial a criança e a mãe, vai se abster de revelar endereços específicos do crime, iniciais de nomes, inclusive do pai, o que se ocorresse de certa forma levaria a desvendar os nomes dos demais membros arrolados na ocorrência.
José Antonio/Grupo Difusora.