Morre último sobrevivente de grave acidente na BR-365 em Patrocínio, MG

Informação foi confirmada pelo hospital em Patrocínio.


Do G1 Triângulo Mineiro

Carretas com combustível colidiram na BR-365 e se incendiaram
O acidente foi registrado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF). Há suspeita de que a fumaça causada por queimadas às margens da rodovia tenha atrapalhado a visão dos motoristas e resultado na colisão.
Segundo a polícia, duas carretas carregadas de combustíveis, um ônibus sem passageiros, um caminhão com arroz e uma caminhonete colidiram no km 465 da rodovia. A pista foi totalmente interditada nos dois sentidos por quase 36 horas e os desvios foram feitos pela BR-146 e MG-230. A pista só foi liberada na noite de sexta-feira (31).

Segundo a polícia, duas carretas carregadas de combustíveis, um ônibus sem passageiros, um caminhão com arroz e uma caminhonete colidiram no km 465 da rodovia. A pista foi totalmente interditada nos dois sentidos por quase 36 horas e os desvios foram feitos pela BR-146 e MG-230. A pista só foi liberada na noite de sexta-feira (31).

O único sobrevivente do grave acidente que envolveu cinco veículos no fim do mês passado na BR-365, em Patrocínio, no Alto Paranaíba, morreu nesta quarta-feira (19). Danilo Alves Miranda estava internado em um hospital particular da cidade e morreu por volta das 7h com cerca de 90% do corpo queimado. Ele teve falência de múltiplos órgãos. A informação foi confirmada ao G1 pela assessoria de comunicação do hospital.

(Foto: Patrocínio Online/Divulgação)



Acidente
Warlen Carvalho, motorista de uma das carretas, morreu no local. Antônio Marcos Souza Fagundes, que estava com 100% do corpo queimado, morreu por volta das 5h desta sexta-feira (31), segundo informações da Santa Casa de Patrocínio. Mizael Rodrigues, uma das vítimas que estava com 90% de queimaduras e havia sido transferido para o Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU), morreu por volta da 1h, de acordo com a assessoria do hospital. Carlos José Aparecido dos Santos, de 46 anos, que também estava internado no HC-UFU morreu na manhã de sábado (1º), por volta das 7h30.
Conforme a Santa Casa, Antônio e Mizael estavam na mesma carreta. Eles eram da mesma família, mas tinham pais diferentes, eram naturais de João Pinheiro, mas moravam em Goiânia(GO). Antônio aguardava transferência para Belo Horizonte e Mizael havia sido transferido para o HC-UFU na noite de quinta-feira.