Bola" é condenado a 22 anos por executar Eliza Samudio, ex-amante do goleiro Bruno


Culpado. Os jurados decidiram que foi o ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o "Bola", que executou a modelo Eliza Samudio, ex-amante do goleiro Bruno Fernandes de Souza. Pela condenação, a juíza Marixa Fabiane Lopes determinou pena de 22 anos. Além desse crime, ele é acusado, também, de integrar um grupo de extermínio composto por policiais civis e é investigado por pelo menos outros dois homicídios. Em novembro de 2012, ele foi absolvido da morte de um carcereiro.
Pelo assassinato de Eliza Samudio, "Bola" foi sentenciado a 19 anos de prisão em regime fechado. Além do homicídio, o Conselho de Sentença, formado por quatro homens e três mulheres, definiu que o ex-policial ocultou o cadáver da vítima. Pelo crime, ele foi condenado a três anos de prisão em regime aberto e, também, a 360 dias/multa ou ao pagamento de R$ 6.120. Ele não poderá recorrer da sentença em liberdade. Os jurados condenaram o réu por 4 a 0 na autoria dos crimes e qualificadoras de asfixia e 4 a 1 na defesa da vítima.
 
Ao contrário do goleiro Bruno, e de Luiz Henrique Romão, o "Macarrão", que confessaram parcialmente participação no assassinato, Marcos Aparecido alegou inocência. "Se eu morresse acabaria esse martírio", chegou a declarar.
 
Não adiantou fantoche, ajoelhar mediante aos jurados, apelar para xingamentos e reportagens, a defesa não conseguiu convencer os jurados da inocência de "Bola". O promotor Henry Vasconcelos, com sua atuação efusiva e eloquente, foi mais afirmativo e categórico ao chamar o réu de "matador, assassino de aluguel, psicopata, profissional na arte de matar".

Renata Caldeira/TJMG/Divulgação
Fonte: hojeemdia

Postagens mais visitadas deste blog

Neste domingo em Patrocínio aconteceu um mega encontro de praticantes de paintball

Atrações da Expopatrô 2012 está praticamente definido

Comando do Cerrado apresenta esporte novo na cidade