COORDENADOR DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DÁ DETALHES SOBRE A DENGUE NO CAFÉ COM O UNICERP


O Brasil enfrenta mais uma crise na saúde pública em função da proliferação do Aedes aegypti, mosquito vetor de vírus causadores de doenças como a dengue, febre zica, chikungunya e febre amarela
O assunto foi tema do quadro Café com o Unicerp da última quarta-feira, dia 15. O convidado foi o Prof. Bruno Pereira Diniz, coordenador do curso de Ciências Biológicas do Centro Universitário do Cerrado Patrocínio. A entrevista foi ao ar no programa Show da Manhã, com Carlinhos Bill, na Rádio Difusora 95,3FM.
O professor explicou os ciclos de vida do mosquito e as principais formas de combate.
“A fêmea é a única que se alimenta de sangue e pode colocar até 1,5 mil ovos num período de 30 a 45 dias. Ela deposita esses ovos em água limpa, de preferência, nas bordas do recipiente para que as larvas eclodam e encontrem alimentos no período de desenvolvimento (que leva por volta de 10 dias). O ovo pode ficar depositado até 450 dias, podendo eclodir assim que encontrar ambiente favorável. O mais indicado é tomar providências para reduzir a população de mosquitos adultos: vedar pontos de acúmulo de água, lavar com escova recipientes (como vasilha para hidratação de animais domésticos), preencher com areia vasos de planta, monitorar quintal e quaisquer objetos que possam favorecer a proliferação do Aedes aegypti”, detalhou.
O docente do UNICERP ainda alertou sobre as atitudes a se tomar no caso de suspeita de dengue. “É importante aplicar repelente três vezes ao dia. Mas no caso de aparecimento de sintomas que podem indicar o surgimento da doença, é imprescindível se medicar apenas com paracetamol ou dipirona, evitando qualquer tipo de anti-inflamatório, que pode desencadear um quadro hemorrágico da dengue. Além disso, procurar sempre atendimento médico especializado”, finalizou.
https://www.facebook.com/difusora95/videos/419150182000905/